Skip to main content

Tecido ósseo histologia: O tecido ósseo é um tipo especializado de tecido conjuntivo que compõe grande parte do esqueleto humano. É responsável por fornecer suporte estrutural, proteção aos órgãos vitais, movimento e armazenamento de minerais, além de desempenhar um papel fundamental na produção de células sanguíneas.

O tecido ósseo histologia 

Apesar do aspecto aparentemente inerte, os ossos são estruturas dinâmicas, que se remodelam durante toda a vida do organismo. Esta permanente reorganização do tecido ósseo acontece por meio de células ósseas, que assumem formas e funções e que, no seu conjunto, constituem a série osteoblástica e a série osteoclástica, responsáveis pela constante formação, reabsorção, reparação e manutenção da microarquitetura óssea.

O tecido ósseo tem dois componentes básicos: células e matriz orgânica, sobre a qual se depositam os componentes inorgânicos, e podemos entender o tecido ósseo de duas maneiras: pelo aspecto macroscópico e microscópico:

  1. Macroscopicamente, o tecido ósseo pode se apresentar como compacto, na região mais periférica dos ossos, denominada cortical, e esponjoso ou trabecular, com rede de trabéculas contendo espaços intercomunicantes que abrigam a medula óssea, sendo encontrado no interior dos ossos.
  2. Microscopicamente, o tecido ósseo pode ser classificado em primário (imaturo) que se apresenta com disposição irregular, não organizada das fibras colágenas. É classificado também como secundário (maduro), com fibras colágenas dispostas em lamelas paralelas ou concêntricas.

Além das células, a matriz orgânica é composta principalmente por colágeno tipo I, que confere resistência à tração, e por minerais, como hidroxiapatita, que conferem rigidez ao osso. Essa combinação de componentes orgânicos e inorgânicos torna o tecido ósseo forte e flexível ao mesmo tempo.

Densidade Óssea

Em relação à densidade óssea, muitos autores classificam de acordo com alguns parâmetros. A classificação mais utilizada, divide os tipos ósseos em quatro grupos: Tipo 1, tipo 2, tipo 3 e tipo 4.

  1. Osso tipo 1: é caracterizado por ser um osso homogêneo e compacto, representado em seu grande volume por osso cortical;
  2. Osso tipo 2: apresenta uma cortical compacta e uma porção medular densa;
  3. Osso tipo 3: apresenta uma cortical fina e uma medular densa;
  4. Osso tipo 4: apresenta uma cortical fina e uma medular de baixa densidade. 

Cada tipo ósseo ou densidade óssea pode ser encontrado em áreas específicas. Para a implantodontia é necessário uma boa estabilidade primária, mas com irrigação sanguínea suficiente para que o metabolismo local não seja prejudicado e facilite a cicatrização e consequente osseointegração, os tipos ósseos I e IV desta classificação não são bons candidatos à colocação de implantes. 

O primeiro, por possuir uma cortical muito densa, dificulta a irrigação sanguínea, apesar de ser excelente para a estabilidade primária. O segundo, apesar da boa irrigação, por ser totalmente de osso trabecular fino, é desvantajoso em relação à estabilidade primária. O osso tipo III, apesar de melhor para a estabilidade do que o osso tipo IV, por muitas vezes também apresenta dificuldade em relação à estabilização do implanteSendo assim, para uma boa osseointegração, o ideal seria a colocação de implantes em osso tipo II; porém, esse osso é comumente encontrado apenas na região anterior mandibular quando não muito reabsorvida. 

Remodelação óssea

Nos processos de formação, reabsorção, manutenção e remodelação óssea, participam quatro tipos celulares que derivam de uma linhagem relacionada à formação e manutenção: osteoblastos, células de revestimento ósseo e osteócitos, e outra à reabsorção: osteoclastos.

Como funciona a remodelação óssea?

O tecido ósseo, em vários momentos, precisa modificar sua forma e sua estrutura. Seja para um osso primário se tornar maduro, para um osso crescer mantendo sua forma, para um osso esponjoso tornar-se compacto ou para se adaptar a novas situações fisiológicas ou patológicas, o osso está em constante remodelação, por meio de reabsorção e deposição de matriz óssea, que são processos diretamente ligados.

Ao longo da vida, o osso é constantemente remodelado para se adaptar às demandas biomecânicas e manter a homeostase mineral. A remodelação óssea envolve a atividade coordenada dos osteoblastos e osteoclastos. Os osteoblastos sintetizam nova matriz óssea, enquanto os osteoclastos reabsorvem o osso existente. Esse processo de remodelação ocorre em resposta a estímulos mecânicos, níveis hormonais, necessidades nutricionais e lesões.

Regeneração tecidual: o que é essa técnica? 

Tecido ósseo histologia: Considerações Finais

As células do tecido ósseo estão sob a ação de fatores locais e sistêmicos. O conhecimento da histologia do tecido ósseo esclarece os diversos fatores que interferem na proliferação, migração, diferenciação e atividade das células ósseas.  Se você é um cirurgião-dentista que deseja elevar seus resultados de regenerações ósseas e as técnicas cirúrgicas, entre em contato  com o time de consultores da  Implantec Brasil, que irão indicar o melhor e mais biocompatível biomaterial do mercado, garantindo tecnologia e qualidade nos resultados ósseos.