Skip to main content

A manutenção de alvéolo pós-extração é um procedimento bastante comum na área da Odontologia e tem como objetivo promover a preservação do osso alveolar após a exodontia de um dente. Para ser possível a instalação de implantes dentários é necessário que exista uma estrutura óssea adequada, e a reabsorção alveolar é uma das consequências indesejáveis que pode ser esperada após extrações dentárias. Existem medidas que podem ser  tomadas para diminuir esse grau de reabsorção e otimizar os resultados a longo prazo, vamos conhecer quais são?

O que é o osso alveolar?

O alvéolo é a cavidade óssea do osso alveolar na qual a raiz do dente está inserida. O osso alveolar desempenha um papel crucial na sustentação e na estabilidade dos dentes. É composto por um tecido ósseo especializado chamado de osso alveolar propriamente dito, que é diferente do osso cortical e do osso trabecular ou esponjoso. Sua manutenção adequada é essencial para evitar complicações e fornecer uma base sólida para futuros tratamentos, como a colocação de implantes dentários, já que um osso alveolar mais fino e curto é esperado após a remoção de um elemento dental.

O que acontece no alvéolo após uma exodontia?

Minutos após a retirada de um dente, um coágulo sanguíneo irá preencher o alvéolo dentário e, após uma semana, ele será substituído por tecido de granulação. Logo em seguida, ocorrerá a migração de células epiteliais marginais em direção ao centro do alvéolo, isolando o alvéolo do ambiente bucal externo. O tecido de granulação formado ao redor das paredes do alvéolo será gradativamente substituído por uma matriz óssea desorganizada e a mesma é substituída por osso primário. Esse processo pode durar em média 15 semanas.

Por que ocorre a reabsorção do osso alveolar?

O osso alveolar é altamente adaptável e responde aos estímulos funcionais exercidos pelos dentes durante a mastigação e a oclusão. Esses estímulos funcionais ajudam a manter a integridade e a densidade óssea, além de permitir ajustes na posição dos dentes ao longo da vida. A função é perdida e desaparece quando um dente é removido, dando início ao processo de atrofia do processo alveolar por desuso, pela diminuição da vascularização sanguínea e pela inflamação local, que envolve fatores estruturais, funcionais e fisiológicos além do trauma local causado no momento da exodontia, que pode acelerar essas alterações.

Como fazer a manutenção do alvéolo pós-extração?

A preservação alveolar, realizada de maneira precoce e preventiva tem como objetivo manter a estrutura óssea do alvéolo, minimizando a reabsorção e promovendo a regeneração do osso perdido. A preservação alveolar pode ser alcançada por meio de diferentes abordagens, com enxertos ósseos ou o uso de materiais de preenchimento.Os materiais utilizados e a técnica cirúrgica determinam a eficiência na manutenção do alvéolo pós-extração e a sua regeneração.

Diferentes tipos de enxertos ósseos como osso autógeno, alógeno, xenógeno, aloplástico e abordagens terapêuticas como a regeneração óssea e tecidual guiada (ROG e RTG) e têm resultados positivos em relação à manutenção da estrutura tridimensional do osso alveolar. 

Os enxertos ósseos fornecem uma matriz para a regeneração do tecido ósseo e estimulam as células a se multiplicarem para promoverem a formação de um novo osso e preservar o volume alveolar pós-extração.

Os implantes imediatos também são uma opção, desde que não sejam carregados funcionalmente, pois diminui a quantidade de procedimentos cirúrgicos e o tempo de tratamento, porém não mantêm a forma e volumes ósseos originais.

A fibrina rica em plaquetas (PRF) também se mostra em bastante evidência. O princípio é aplicar citocinas pró-angiogênicas inflamatórias e fatores de crescimento para estimular a cicatrização dos alvéolos de extração, sendo capaz de induzir nova formação óssea e de diminuir drasticamente a taxa de infecção pós-operatória.

Além dessas técnicas, outros cuidados são necessários durante o processo de manutenção do alvéolo pós-extração, como uma higiene bucal adequada, que é fundamental para evitar infecções e complicações, assim como o acompanhamento regular com o profissional, para avaliar a progressão da cicatrização e identificar possíveis problemas.

Considerações Finais

A manutenção do alvéolo pós-extração desempenha um papel crucial na Odontologia. A preservação do alvéolo previne o colapso do mesmo, diminuindo a perda de tecido duro e mole, reduzindo o número de intervenções cirúrgicas e oferecendo ótima estética com grande previsibilidade. Diferentes técnicas, como enxertos ósseos e preenchimento com PRF por exemplo, podem ser utilizadas para alcançar esse objetivo.

Entre em contato com o time de especialistas da Implantec e conheça mais sobre a tecnologia do PRF e os materiais de enxertos ósseos porcinos da Purgo Biologics, que está inovando e mudando a Odontologia.