Skip to main content

Os biomateriais são produtos desenvolvidos para substituir os tecidos ósseos que foram danificados, podendo ser usados para preencher defeitos. Para isto, eles devem apresentar algumas características, como a biocompatibilidade e boa propriedade estrutural, como a presença de porosidade interna, que é uma condição fundamental para a estabilização e neoformação. Vamos conhecer os tipos de enxerto ósseo dentário disponíveis no mercado?

O que é osso?

O osso é um tecido conjuntivo especializado, vascularizado e dinâmico, que tem a capacidade de se modificar ao longo da vida do indivíduo. É composto por três tipos celulares básicos: os osteócitos, os osteoclastos e os osteoblastos, responsáveis pela síntese da matriz óssea.

ilustração da estrutura esponjoda do osso

Ilustração da estrutura esponjosa do osso

Macroscopicamente falando, o osso pode ser esponjoso ou cortical. O osso cortical apresenta uma massa sólida e o osso esponjoso possui estruturas denominadas espículas e trabéculas.

Quando lesionado, possui uma capacidade única de regeneração e reparação, mas em algumas situações devido ao tamanho e altura do defeito, o tecido ósseo não se regenera por completo.

O resultado positivo está relacionado, principalmente, às suas propriedades e biocompatibilidade dos materiais empregados, que são amplamente explorados e utilizados no ramo da Odontologia.

Classificação dos materiais de enxerto ósseo dentário

Classicamente, os materiais para enxerto ósseo podem ser classificados como:

  1. Osteogênicos: tem potencial de formar novo osso a partir do próprio material devido à presença de osteoblastos vivos funcionais no próprio enxerto;
  2. Osteoindutores: induzem a proliferação e função celular do osso em volta do enxerto;
  3. Osteocondutores: tem a capacidade de manter um arcabouço físico por onde o novo osso possa crescer.

Para obtermos uma boa neoformação óssea, o material de enxerto ideal deve obedecer os seguintes requisitos:

  • Biodisponibilidade;
  • Promover a osteogênese;
  • não apresentar resposta imunológica do hospedeiro;
  • Estimular a angiogênese;
  • Estimular a osteoindução;
  • Promover a osteocondução;
  • Ser substituído completamente por osso em quantidade e qualidade semelhante ao do hospedeiro.

Tipos de enxerto ósseo dentário

No mercado atual podemos encontrar uma variedade de opções, dentre eles:

1- Autógeno: é um tipo de enxerto em que o osso é retirado do próprio paciente. É possível usar enxerto autógeno ósseo a partir de diferentes locais, como da calota craniana, costelas, bacia, mento ou ramos mandibulares. Veja mais a fundo sobre Enxerto Autógeno.

2- Aloplástico: é um tipo de enxerto produzido sinteticamente em laboratório. Pode ser composto de diferentes materiais, como polímeros, biovidros ou hidroxiapatita.

3- Alógeno: é um tipo de enxerto proveniente do banco de ossos humanos, ou seja, sua origem é de indivíduos da mesma espécie.

4- Xenógeno: é um tipo que enxerto que provém de um doador de outra espécie animal, de origem suína ou bovina. O osso é liofilizado e apresentado em forma de pó e/ou grânulos.

Entre os materiais citados acima, o enxerto xenógeno de origem porcina se apresenta como uma das melhores opções em relação à neoformação óssea, pois apresenta uma formação muito parecida ao osso medular humano, incorporando-se facilmente ao tecido de forma segura ao paciente.

Como escolher o melhor biomaterial para a neoformação óssea?

O biomaterial de origem porcina se tornou o padrão ouro na regeneração óssea, se mostrando altamente efetivo clínica e cientificamente, com índices de compatibilidade de 98,8% com o DNA humano. A sua estrutura natural com alta pureza representa resíduos proteicos menores que o enxerto de origem bovina e a sua alta porosidade e remodelamento antecipado, aumentam a performance clínica. Isso facilita tanto a aplicação do biomaterial ao defeito, como também leva a uma incorporação mais rápida após a implantação.

Uma grande superfície de contato também é um fator chave para os materiais de enxerto, que não resulta somente na maior disponibilidade de área para a adesão dos osteoblastos, mas também facilita a troca de nutrientes e resíduos celulares, e permite uma grande quantidade de sangue, proteínas e fatores de crescimento serem absorvidos para dentro da matriz, caracterizando uma neoformação óssea de extrema qualidade e eficiência.

“Quando se trata de implantes dentários, moderna tecnologia que pode substituir os dentes naturais em caso de perda, há muitas dúvidas. Uma das principais está relacionada ao enxerto ósseo. Quando é necessário? Leia mais, aqui!

Considerações Finais: Tipos de enxerto ósseo

Tendo em vista a importância das reconstruções ósseas na cirurgia odontológica, é necessário conhecer a viabilidade e a influência dos biomateriais na reparação óssea. Portanto, pesquisar o mercado atual e o que ele oferece, impacta diretamente nos resultados obtidos na rotina clínica e cirúrgica. Biomateriais altamente tecnológicos, com segurança e pureza, certamente estabelecem uma neoformação óssea de qualidade, e como consequência, um paciente muito mais satisfeito.

Se você é um cirurgião-dentista que deseja elevar seus resultados e a técnica cirúrgica, entre em contato com o time de consultores da Implantec, que irão indicar o melhor e único biomaterial xenógeno do mercado, garantindo tecnologia e resultados otimizados.