Skip to main content
O THE GraftTM Collagen caixa é composto de 90% matriz mineral óssea porcina de origem trabecular e 10% de atelocolágeno advindo do tendão porcino.

O THE GraftTM Collagen é composto de 90% matriz mineral óssea porcina de origem trabecular e 10% de atelocolágeno advindo do tendão porcino.

É com grande entusiasmo que apresentamos a você o THE GraftTM Collagen, uma inovação notável no campo dos enxertos ósseos, projetado para oferecer resultados excepcionais e facilidade de uso. Permita-nos destacar por que o THE GraftTM Collagen é a escolha ideal para preenchimento, aumento e reconstrução de defeitos periodontais, orais e maxilofaciais.

A base do THE GraftTM Collagen é uma matriz mineral óssea porcina de origem trabecular, composta por 90% deste material. O trabecularismo desse componente confere ao THE GraftTM Collagen uma notável semelhança física e química com a matriz óssea mineralizada humana. Isso significa que, ao utilizar este enxerto, você está investindo em um material que se integra de maneira excepcional com o tecido ósseo do paciente, promovendo uma regeneração óssea eficaz.

Mas não é só isso. O THE GraftTM Collagen também contém 10% de atelocolágeno proveniente do tendão porcino. Isso proporciona ao enxerto uma viscosidade ideal, tornando-o facilmente moldável e adaptável a defeitos de diferentes formas. Imagine a flexibilidade de moldar e esculpir o enxerto de acordo com a necessidade, proporcionando um ajuste perfeito em qualquer cenário de regeneração óssea. Além disso, quando o THE GraftTM Collagen está seco, pode ser parafusado com facilidade, oferecendo uma fixação estável e segura.

Adesão de células na superfície da OpenTex®, após 24 horas em cinco casos
(MEV : Microscópio Eletrônico de Varredura)


Adesão de células na superfície da OpenTex®, após 24 horas em cinco casos
(MEV : Microscópio Eletrônico de Varredura)

Um dos aspectos mais notáveis do THE GraftTM Collagen é sua capacidade de evoluir com o tempo. À medida que as células osteoblásticas e osteoclásticas entram em ação, o enxerto é parcialmente transformado, promovendo a formação de um osso saudável e natural. Isso significa que o resultado final é uma regeneração óssea de alta qualidade que se adapta e evolui com o corpo do paciente.

Em resumo, o THE GraftTM Collagen é a escolha certa para profissionais de saúde que buscam a excelência em regeneração óssea. Com sua composição única, facilidade de manuseio e capacidade de evolução, este enxerto é uma ferramenta valiosa para alcançar resultados surpreendentes em procedimentos periodontais, orais e maxilofaciais.

Opte pela segurança e qualidade quando se trata da saúde óssea de seus pacientes. Escolha o THE GraftTM Collagen e eleve seus procedimentos ao próximo nível. Entre em contato

BioCover™ destina-se a ser utilizado em procedimentos de cirurgia periodontal e dentária.A membrana é colocada na área de dano periodontal, implante dentário, dano ósseo ou reconstrução da Creta para auxiliar na cura pós-operatória.

BioCover™ destina-se a ser utilizado em procedimentos de cirurgia periodontal e dentária. A membrana é colocada na área de dano periodontal, implante dentário, dano ósseo ou reconstrução da Creta para auxiliar na cura pós-operatória.

Regeneração óssea e tecidual guiada

Para o processo em que a regeneração ocorre apenas por células do tecido ósseo, denomina-se regeneração óssea guiada (ROG). O princípio biológico da regeneração óssea guiada consiste na repopulação de células que tenham potencial osteogênico, utilizando de barreiras biológicas chamadas de membranas, que criam e mantém espaço impedindo a migração de tecidos não-osteogênicos para os defeitos ósseos.  

A prevenção da reabsorção se inicia com a manutenção do coágulo dentro do alvéolo ósseo remanescente, pois este tem rico suprimento de fatores envolvidos na cicatrização. Para melhorar a regeneração do alvéolo e modificar o processo de reabsorção estão sendo indicadas técnicas de regeneração óssea guiada e uso de materiais para substituição óssea.

O osso é um tecido de crescimento lento, tanto fibroblastos como células epiteliais têm a oportunidade de ocupar o espaço existente com eficiência em construir um tecido conjuntivo mole muito mais rápido do que o osso é capaz de crescer. Assim, o mecanismo biológico é a exclusão das células indesejáveis no espaço preenchido pelo coágulo sobre a membrana. 

Células troncos e osteoprogenitoras vão se diferenciar em osteoblastos e depositar matriz óssea. Sendo assim, a membrana vai criar esse espaço que permitirá ao osso usar seu processo natural de modo mais previsível.

Indicação e utilização de membranas

Entre as principais indicações do uso das membranas biológicas em processos de ROG estão:

  1. correção de rebordos edêntulos ou defeitos residuais;
  2. alvéolos após exodontias;
  3. deiscência e fenestração após colocação de implantes imediatos ou não .

As membranas são colocadas sobre defeitos ósseos estreitamente adaptados à superfície do osso que envolve o alvéolo, criando uma proteção. A membrana irá atuar como uma barreira, que inibe as células não osteogênicas dos tecidos moles de participarem na regeneração dos detritos ósseos e permite que as células osteogênicas da medula óssea adjacente participem da regeneração.

A membrana ao redor do alvéolo evita que as células do epitélio bucal e do tecido conjuntivo participem da reparação do defeito ósseo, deixando que as células osteoblásticas tenham prioridade. Através do processo biológico natural, as membranas vão proporcionar regeneração óssea funcional com estabilidade mecânica do coágulo e a manutenção do espaço preenchido através do isolamento dos tecidos indesejáveis no local da regeneração.

Dessa forma, torna-se importante a realização desta pesquisa, preservando o rebordo do paciente e dando possibilidades reais de devolução funcional e estética da região, trazendo também o conforto mastigatório para esse paciente. 

Membranas de colágeno: Propriedades das membranas

Para que o processo de ROG aconteça é importante observar alguns pré-requisitos, como:

  • o defeito ósseo deve possuir fonte de células osteogênicas viáveis; 
  • a área a ser regenerada deve fornecer adequada de vascularização; 
  • o local da ferida a ser regenerado deve permanecer mecanicamente estável durante a cicatrização. 

Também é necessário que as membranas possuam propriedades, como por exemplo:

  1. permeabilidade para a difusão de plasma e nutrientes (porém sem passagem de células não osteogênicas);
  2. biocompatibilidade da membrana;
  3. proteção da rede vascular durante a organização do coágulo;
  4. resistência à pressão dos tecidos adjacentes e forças externas;
  5. rigidez suficiente (memória), para a criação do espaço;
  6. adaptação ao contorno ósseo. 

Tipos de membranas

  1. Membranas de colágeno reabsorvíveis: estabilizam a ferida, permitem revascularização precoce, atraem os fibroblastos e são semipermeáveis, facilitando a transferência dos elementos nutritivos. Com a propriedade hidrofílica da membrana, ela facilita a técnica cirúrgica e sua estabilização sobre o enxerto, além de não necessitar de uma segunda etapa cirúrgica para remoção, entretanto uma vez expostas e infectadas, são difíceis de serem removidas;
  2. Membranas de PTFE não reabsorvíveis: essas membranas são indicadas para procedimentos cirúrgicos em que não há cicatrização primária, como por exemplo na manutenção do alvéolo pós-extração e na restauração estética de implantes, além de suportarem exposição ao meio bucal. Há necessidade de um segundo tempo cirúrgico para sua remoção.
  3. Membranas PTFE com reforço de titânio: mantém o arcabouço nutrido e protegido e possui rigidez e flexibilidade ideais para moldar-se à forma dos defeitos e reduzir perfurações de tecidos moles sobrepostos, além de poderem ficar expostas ao meio bucal. São indicadas em defeitos ósseos grandes sem espaços verticais e também há necessidade de um segundo tempo cirúrgico para sua remoção.

Conheça o melhor Enxerto ósseo estruturado moldável e parafusável, Aqui!

Membrana de Colágeno em Deiscência e Fenestração Óssea em Odontologia:

Deiscência Óssea:

Definição: A deiscência óssea é uma condição em que ocorre a exposição da raiz dentária devido à retração do osso alveolar após a extração dentária.

Uso da Membrana de Colágeno: A membrana de colágeno, composta principalmente por colágeno tipo I, é um biomaterial frequentemente utilizado para a cobertura de deiscências ósseas. Ela desempenha um papel crucial na prevenção de complicações pós-operatórias, como infecções e cárie radicular. Além disso, atua como uma barreira física que protege a área exposta da raiz e fornece suporte para a regeneração óssea.

Fenestração Óssea:

Definição: A fenestração óssea é uma condição na qual há uma abertura ou “janela” no osso que expõe parcialmente a raiz dentária. Isso pode ocorrer devido a diferentes razões, incluindo reabsorção óssea ou posicionamento dentário inadequado.

Uso da Membrana de Colágeno: No contexto de fenestração óssea, a membrana de colágeno desempenha um papel crucial, pois atua como uma barreira biocompatível que cobre a área exposta da raiz e, ao mesmo tempo, permite a difusão de nutrientes para suportar o processo de regeneração óssea. Sua principal finalidade é proteger a raiz dentária e criar um ambiente propício para a formação de novo osso.

Benefícios Clínicos:

  • Prevenção de infecções pós-operatórias.
  • Proteção da raiz dentária exposta.
  • Promoção da regeneração óssea.
  • Manutenção da integridade do local cirúrgico.
  • Biodegradabilidade gradual durante o processo de cicatrização.

Procedimento:

  1. Identificação da deiscência ou fenestração óssea durante a avaliação clínica e radiográfica.
  2. Colocação cuidadosa da membrana de colágeno sobre a área afetada.
  3. Fixação da membrana no local, geralmente com suturas ressorbíveis ou outros meios apropriados.
  4. A membrana de colageno dental se reabsorverá progressivamente, à medida que o osso se regenera e preenche a área.

O uso da membrana de colageno dental em casos de deiscência e fenestração óssea é uma prática comum e altamente eficaz na odontologia. Profissionais especializados, como cirurgiões bucomaxilofaciais e implantodontistas, são responsáveis por realizar esses procedimentos com precisão, adaptando-os às necessidades específicas de cada paciente. Portanto, é fundamental que pacientes com essas condições busquem atendimento de um profissional experiente para uma avaliação e tratamento adequados.

Membrana de colágeno cirurgia

A membrana de colágeno é amplamente utilizada em cirurgias odontológicas e procedimentos de regeneração óssea. Ela desempenha um papel fundamental na promoção da cicatrização e na regeneração de tecidos. Abaixo, você encontrará informações sobre como a membrana de colágeno é usada em cirurgias:

Indicações Cirúrgicas para Membrana de Colágeno:

  1. Cirurgia de Levantamento do Seio Maxilar: Em procedimentos de enxerto ósseo para aumentar a altura do osso alveolar na região posterior do maxilar, a membrana de colágeno é frequentemente usada para cobrir o enxerto ósseo e protegê-lo.
  2. Cirurgia de Implantes Dentários: Quando há insuficiência óssea, a membrana de colágeno pode ser usada para criar uma barreira que protege o enxerto ósseo, permitindo a regeneração óssea antes da colocação de implantes dentários.
  3. Cirurgia Periodontal: Em procedimentos de aumento de gengiva, a membrana de colágeno é usada para cobrir a área cirúrgica, protegendo-a e promovendo a cicatrização.
  4. Cirurgia de Reconstrução Óssea: Em casos de defeitos ósseos, fraturas ou outras condições que requerem a regeneração óssea, a membrana de colágeno pode ser aplicada para ajudar na formação de novo osso.

Procedimento Cirúrgico com Membrana de Colágeno:

Preparação do Local: O cirurgião prepara a área cirúrgica e, se necessário, realiza o enxerto ósseo.

Colocação da Membrana: A membrana de colágeno é cuidadosamente posicionada sobre a área que requer proteção ou regeneração.

Fixação: Em alguns casos, a membrana de colágeno pode ser fixada no local usando suturas ressorbíveis ou outros dispositivos apropriados.

Cicatrização e Regeneração: A membrana de colágeno serve como uma barreira que protege o local cirúrgico contra contaminação e promove a formação de novo tecido ósseo e de gengiva.

Reabsorção Gradual: Ao longo do tempo, a membrana de colágeno se reabsorve naturalmente à medida que o processo de cicatrização avança.

Benefícios da Membrana de Colágeno em Cirurgias:

  • Protege a área cirúrgica contra infecções.
  • Promove a regeneração de tecidos ósseos e gengivais.
  • Melhora a taxa de sucesso de implantes dentários.
  • Reduz a morbidade pós-operatória.

Membranas de colágeno: Considerações Finais

O uso das membranas de colágeno é muito comum em procedimentos de RTG e ROG na Odontologia. Elas desempenham um papel fundamental na promoção da regeneração óssea, na proteção de tecidos moles e na criação de um ambiente adequado para a cicatrização. Cada caso clínico é único, e a escolha da membrana pode variar de acordo com a condição do paciente e o objetivo do tratamento.

Entre em contato com o time de especialistas da Implantec e conheça mais sobre os materiais de enxertos ósseos porcinos da Purgo Biologics, que estão inovando e mudando a Odontologia.