Skip to main content

A implantodontia (leia mais em “Implantodontia: o que é?”) é um método de reabilitação oral para pacientes edêntulos totais ou parciais, que visa restabelecer a funcionalidade do sistema estomatognático de pacientes que por vários motivos perderam dentes. Para que o tratamento se desenvolva corretamente é preciso que o implante se osseointegre ao osso, e posteriormente seja concluído com a fase protética. O implante dentário também precisa apresentar algumas características e propriedades específicas para que se obtenha o sucesso no tratamento. Vamos conhecer um pouco mais a respeito?

 

O que é um implante dentário?

Um implante dentário é uma peça de titânio ou outro material biocompatível, como a zircônia por exemplo, (leia mais em “Implantes de zircônia: um novo conceito”) que é inserido no da maxila ou mandíbula para substituir um dente ausente. 

 

Afinal, quais propriedades os implantes devem apresentar?

Algumas das propriedades que um implante dentário deve apresentar são:

  1. Biocompatibilidade: o material deve ser biocompatível, ou seja, não deve causar nenhuma reação adversa no corpo.
  2. Durabilidade: o implante deve ser resistente e durável para suportar as cargas mastigatórias a longo prazo.
  3. Osseointegração: o implante deve integrar-se ao osso, criando uma conexão forte e estável.
  4. Forma e tamanho adequados: o implante deve ter a forma e o tamanho adequados para o local onde será colocado, para garantir uma adaptação e carga mastigatória eficiente.
  5. Adaptabilidade a diferentes situações clínicas: o implante deve ser capaz de ser adaptado a diferentes situações clínicas, como a colocação em áreas com osso insuficiente ou em osso neoformado.

 

O implante dentário

Ele é dividido em ápice, corpo e plataforma, e é construído de maneira a mimetizar a forma radicular de um dente natural, visando uma parede vertical de osso para sua implantação. Normalmente, o projeto do implante possui o corpo separado do pilar protético, mantendo apenas o corpo do implante em contato ósseo durante a cicatrização. Já a plataforma é a parte do projeto que estará em contato com o componente protético, uma espécie de transição entre a parte de contato com o tecido ósseo do implante e a parte de contato com tecido mole. A plataforma também é o local em que o pilar protético será instalado e os encaixes podem ser externos ou internos. Externamente possuímos o encaixe de hexágono externo e internamente possuímos o hexágono interno, octógono ou cone Morse

Dentre os componentes protéticos, podemos citar:

  1. Parafuso de cobertura;
  2. Pilar de cicatrização;
  3. Pilar protético;
  4. Pilar de transferência;
  5. Análogo;
  6. Parafuso de fixação.

 

Propriedades físicas e químicas dos implantes

As características físicas e químicas dos implantes dentários são importantes para garantir a sua segurança e eficácia. Algumas dessas características incluem:

  1. Comprimento: o comprimento do implante é escolhido de acordo com a biodisponibilidade do osso no local onde será instalado. Implantes mais curtos são utilizados em áreas onde o osso é mais raso, enquanto implantes mais longos são usados em áreas mais espessas.
  2. Diâmetro: o diâmetro do implante também é importante e deve ser adequado para a largura do osso no local. 
  3. Rugosidade da superfície: a superfície do implante pode ser tratada para aumentar a sua rugosidade e, assim, promover a osseointegração. A rugosidade pode ser medida em micrômetros e é importante para aumentar a adesão das células ósseas ao implante.
  4. Porosidade: alguns implantes podem ter uma certa porosidade, o que pode ajudar a promover a osseointegração. A porosidade permite a infiltração de células ósseas no interior do implante, aumentando a área de contato entre o implante e o osso.
  5. Resistência mecânica: os implantes dentários devem ter uma alta resistência mecânica para suportar as forças de mastigação e garantir a sua durabilidade a longo prazo.
  6. Condutividade térmica: a condutividade térmica do implante é importante para evitar que o implante seja danificado durante os procedimentos que podem sofrer aquecimento.
  7. Resistência à corrosão: o implante deve ser resistente à corrosão para evitar o desgaste e possíveis problemas.
  8. Superfície: a superfície do implante pode ter diferentes texturas, como superfícies lisas, jateadas ou revestidas com material bioativo, para promover a osseointegração.
  9. Conexão: a conexão do implante com o pilar pode ser interna ou externa.
  10. Formato do pilar: o formato do pilar pode variar de acordo com a finalidade da prótese. Por exemplo, pilares retos são usados para próteses fixas, enquanto pilares angulados são utilizados em próteses tipo protocolo.

 

Considerações Finais

Os implantes dentários podem oferecer uma segunda chance para aqueles pacientes que perderam dentes e desejam recuperar a função, a confiança em seu sorriso e qualidade de vida. Os implantes dentários podem trazer inúmeros benefícios, mas é pertinente considerar todas as propriedades específicas de cada um, juntamente com o plano de tratamento individual do paciente para garantir o melhor e duradouro resultado possível.