Skip to main content

A cirurgia parendodôntica é um procedimento seguro e adequados para o tratamento de dentes com lesões periapicais que não respondem ao tratamento endodôntico convencional ou quando o retratamento não é mais viável, dentre elas podemos citar a curetagem apical, apicectomia e obturação retrógrada. 

Endodontia

A Endodontia é a especialidade odontológica que cuida da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças da polpa dental, responsável pelo desenvolvimento do dente. O tratamento do canal radicular é um meio seguro e eficaz de preservar dentes que de outra forma estariam perdidos e o tratamento deve seguir princípios científicos e biológicos para que sejam minimizadas as possibilidades de falhas e acidentes, pois além da origem microbiana, os erros podem decorrer de fatores como diagnóstico incorreto, falhas técnicas e falta de habilidade do profissional.

Lesões Periapicais

Dentre as lesões que se desenvolvem na região periapical dos dentes, as lesões inflamatórias predominam, porque representam a sequela da necrose pulpar causada pelos microrganismos bucais. Os microrganismos irão induzir uma reação inflamatória no tecido conjuntivo periapical e podem se apresentar de maneira crônica ou aguda.

Cirurgia Parendodôntica

A cirurgia parendodôntica é o procedimento cirúrgico utilizado em momentos em que as lesões periapicais são muito grandes ou não é possível a remoção do agente agressor por meio do tratamento endodôntico convencional.

Pré-operatório

É necessário que antes de realizar a cirurgia, sejam feitos exames complementares, que vão ajudar desde o diagnóstico até o planejamento de toda a cirurgia. É fundamental analisar o local de maneira criteriosa e ter o máximo de cuidado com as estruturas nobres mais próximas à área, para não haver qualquer tipo de intercorrência durante o procedimento. Dentre os procedimentos, podemos citar:

  1. Apicectomia (leia mais em Apicectomia: o que é?)
  2. Retrobturação ou obturação retrógrada
  3. Curetagem do ápice radicular
Cirurgia parendodôntica

Osso mandibular aberto após incisão cirúrgica

Procedimento da cirurgia parendodôntica

O procedimento da cirurgia parendodôntica começa primeiramente com a anestesia, seguida da incisão e descolamento do periósteo. Logo após, é feita uma osteotomia e a curetagem do local para a remoção da lesão e, por fim, a apicectomia.

 

 

 

a gengiva é suturada com fio dental especial na incisão cirúrgica

Sutura com fio dental especial em incisão cirúrgica

Após o corte do ápice da raiz, deve-se fazer a obturação retrógrada dos canais radiculares presentes no dente, e finaliza-se com sutura. Uma observação importante, é o corte do ápice que deve ser de aproximadamente ⅓  e realizado em bisel direcionado ao operador, para a avaliação do selamento apical e eliminação da maior quantidade possível de canais secundários.

 


Cirurgia parendodôntica: MTA

O MTA (Agregado Trióxido Mineral) tem sido bastante utilizado em diversos tipos de tratamento endodôntico, desde a retro-obturação, trepanações acidentais e reabsorções internas, pois quando em contato com fluidos teciduais, promove liberação de hidróxido de cálcio, proporcionando ação antimicrobiana e capacidade mineralizadora, indução de cementoblastos e osteoblastos, bem como promove um excelente selamento marginal e posteriormente, pode-se perceber uma formação de ponte de tecido duro devido sua capacidade remineralizadora.

 

Pós operatório

O pós-operatório após uma cirurgia parendodôntica pode variar dependendo do tipo de procedimento realizado e da condição de cada paciente. Algumas orientações gerais para o pós operatório, que pode ser um pouco incômodo:

  1. Descanso: O paciente deverá evitar ao máximo fazer esforços físicos ou movimentos bruscos com a cabeça;
  2. Compressa fria: Utilização de bolsa de gelo por períodos de 15 minutos, durante o primeiro e segundo dia;
  3. Medicação: Fazer o uso correto da medicação receitada, que poderá ser um analgésico, anti inflamatório ou antibiótico;
  4. Alimentação: Poupar comer alimentos quentes e duros, bem como, como fumar, cuspir e bochechar, durante pelo menos as primeiras 24 horas;
  5. Higienização: Ter sempre uma higiene oral eficaz, devendo escovar, ainda que delicadamente, a área operada;
  6. Retorno: Retornar ao dentista para visitas de acompanhamento e remoção dos pontos, se necessário.

Cirurgia parendodôntica: Indicações e contraindicações

Podemos citar entre as indicações específicas:

  1. incapacidade de retratamento;
  2. infecções periapicais persistentes;
  3. excesso de material obturador que foi extravasado além do ápice;
  4. perfurações e fraturas no terço apical;
  5. amplas reabsorções radiculares;
  6. corpo estranho no ápice radicular.

Como contraindicações, temos:

  1. distúrbios orgânicos;
  2. problemas sistêmicos;
  3. comprimento radicular;
  4. grande perda óssea;
  5. complexidade do acesso.

Aprenda mais a fundo sobre neste conteúdo: CIRURGIA PARENDODÔNTICA: MODALIDADES CIRÚRGICAS

Cirurgia parendodôntica: Considerações Finais

A terapia endodôntica é uma terapia conservadora e com ela é possível promover a desinfecção do sistema de canais radiculares proporcionando a diminuição da carga microbiana. Quando as lesões periapicais são muito grandes ou não é possível a remoção do agente agressor por meio do tratamento endodôntico convencional, deve-se optar pelo tratamento com cirurgia parendodôntica.

O MTA possui ação mineralizadora, capaz de ativar os osteoblastos ajudando na formação óssea, por este motivo este produto pode ser empregado na cirurgia parendodôntica para obtenção de resultados altamente satisfatórios.

Gostaria de saber mais sobre o tema ou conhecer os produtos disponíveis na Implantec Brasil? Entre em contato com um dos nossos especialistas e tire todas as suas dúvidas.