Skip to main content

Ao entender os possíveis acidentes anatômicos da mandíbula, é fundamental conhecer a complexidade e a estrutura desta importante parte do sistema estomatognático. A mandíbula, também conhecida como maxilar inferior, é um osso móvel que desempenha um papel crucial na mastigação, fala e estética facial. 

É primordial a compreensão detalhada da anatomia da mandíbula para os profissionais de odontologia e cirurgia bucomaxilofacial, pois permite o diagnóstico preciso de condições patológicas, a realização de procedimentos cirúrgicos com segurança e a execução de tratamentos odontológicos adequados.

Compreendendo a Anatomia da Mandíbula

A mandíbula é um osso fundamental no sistema estomatognático, desempenhando um papel vital nas funções de mastigação, fala e estética facial. 

VISTA ÂNTERO-MEDIAL DA MANDIBULA Fonte da imagem: Aula de anatomia

Antes de mais nada vamos conhecer detalhadamente a anatomia desse importante osso:

  • Corpo da Mandíbula: O corpo da mandíbula é a porção horizontal e mais longa do osso. Ele abriga os alvéolos dentários, onde os dentes são fixados, e forma a base da mandíbula.
  • Ramo da Mandíbula: O ramo da mandíbula é a porção vertical que se estende para cima a partir do corpo da mandíbula. Esse ramo possui uma projeção chamada côndilo, que se articula com a cavidade glenoide do osso temporal para formar a articulação temporomandibular (ATM).
  • Côndilo da Mandíbula: O côndilo é a parte arredondada do ramo da mandíbula que se encaixa na cavidade glenoide do osso temporal. Essa articulação permite a movimentação da mandíbula para cima e para baixo, bem como movimentos de lateralidade.
  • Ângulo da Mandíbula: O ângulo da mandíbula é a região em que o corpo da mandíbula se encontra com o ramo. Esse ângulo é uma importante referência em procedimentos cirúrgicos e diagnósticos.
  • Processo Coronóide: O processo coronóide é uma projeção triangular que se estende para a frente a partir do ramo da mandíbula. É um ponto de inserção para músculos importantes envolvidos na mastigação.
  • Forame Mandibular: É um pequeno orifício localizado na superfície interna do ramo da mandíbula. Esse forame permite a passagem do nervo alveolar inferior e dos vasos sanguíneos associados.
  • Forame Mentual: Localizado na parte inferior do corpo da mandíbula, o forame mentual é por onde passam os nervos mentuais e os vasos sanguíneos que suprem a região do queixo e lábios.
  • Linha Milohioidea: É uma linha oblíqua que percorre a parte interna do corpo da mandíbula e serve como ponto de inserção para o músculo milohioideo, importante para a elevação da língua e da mandíbula.
  • Incisura Mandibular: É uma pequena reentrância localizada no ramo da mandíbula, que separa o côndilo da parte inferior do osso.

Compreenda mais a fundo sobre anatomia da mandíbula lendo este artigo completo!

Sistema estomatognático

infelizmente, acidentes e lesões que afetam a anatomia desta estrutura não são incomuns. Nestes casos, é essencial entender os diferentes tipos de traumas que podem ocorrer na mandíbula: 

Vamos explorar alguns dos principais acidentes anatômicos da mandíbula:

  • Forame Mentual: Localizado na região central da mandíbula, o forame mentual é uma abertura que permite a passagem de nervos e vasos sanguíneos. É por meio deste forame que a sensibilidade é transmitida para a região do queixo e lábios.
  • Ramo da Mandíbula: A mandíbula possui dois ramos, um em cada lado, que se estendem para cima a partir da parte principal do osso. Os ramos da mandíbula são importantes para a articulação com a articulação temporomandibular (ATM) e também oferecem pontos de inserção para os músculos mastigatórios.
  • Processo Coronóide: Localizado na parte superior da mandíbula, o processo coronóide é uma projeção em forma de gancho que serve como ponto de inserção para o músculo temporal, um dos principais músculos envolvidos na mastigação.
  • Processo Condilar: O processo condilar é uma estrutura em forma de cabeça de côndilo localizada na parte posterior da mandíbula. Ele se articula com a fossa mandibular do osso temporal, formando a articulação temporomandibular.
  • Ângulo da Mandíbula: O ângulo da mandíbula é a região onde o ramo da mandíbula se encontra com a parte principal do osso. Esse ângulo pode variar de indivíduo para indivíduo e é relevante em procedimentos cirúrgicos e diagnósticos odontológicos.
  • Linha Obliqua Externa e Interna: São linhas elevadas e oblíquas que percorrem a face externa e interna da mandíbula, respectivamente. Elas servem como pontos de referência em radiografias e análises de imagens para avaliar a posição e integridade do osso.
  • Sínfise Mentual: É a região da mandíbula onde os dois lados do osso se encontram na linha média. É uma área importante para procedimentos cirúrgicos e também é referenciada em exames de imagem.
  • Língula: A língula é uma pequena projeção localizada na borda interna da mandíbula, próxima ao forame mentual. É relevante em procedimentos anestésicos e bloqueios nervosos.

Acidentes anatômicos da mandíbula: fraturas da mandíbula e implicações clínicas:

As anomalias anatômicas e fraturas da mandíbula são questões de extrema importância no campo da odontologia e cirurgia bucomaxilofacial. Essas condições podem ter impactos significativos na saúde e qualidade de vida dos pacientes. Veremos cada uma delas mais detalhadamente:

Anomalias Anatômicas da Mandíbula:

  1. Micrognatia: Refere-se a uma mandíbula subdesenvolvida, resultando em um queixo retraído. Essa condição pode causar problemas na oclusão dentária e afetar a estética facial.
  2. Macroglossia: Caracteriza-se pelo aumento anormal do tamanho da língua em relação à mandíbula. A macroglossia pode levar a dificuldades na fala, mastigação e problemas respiratórios.
  3. Anquilose da Mandíbula: É uma condição em que ocorre a fusão anormal da articulação temporomandibular (ATM) com o crânio. Isso resulta em restrição do movimento mandibular e dificuldades na abertura da boca.
  4. Prognatismo: O prognatismo é caracterizado pelo excesso de projeção da mandíbula em relação ao crânio. Isso pode causar problemas na oclusão dentária e estética facial.
  5. Retrognatismo: Ao contrário do prognatismo, o retrognatismo é caracterizado pela mandíbula subdesenvolvida, resultando em uma posição posterior do queixo em relação ao crânio.
  6. Assimetria Facial: A assimetria facial é quando um lado da mandíbula apresenta tamanho ou forma diferente do outro lado, levando a desequilíbrios estéticos e funcionais.

Fraturas da Mandíbula e Implicações Clínicas:

  1. Fratura do Côndilo: O côndilo é a parte arredondada da mandíbula que se articula com o osso temporal na ATM. Fraturas nessa região podem afetar a movimentação da mandíbula e causar dor e limitações na abertura e fechamento da boca.
  2. Fratura do Corpo Mandibular: É uma fratura que ocorre na parte principal da mandíbula. Dependendo da localização e extensão da fratura, podem ocorrer problemas de oclusão, estética facial e até dificuldades na fala e mastigação.
  3. Fratura do Ramo Mandibular: O ramo da mandíbula é a região que se estende para cima, a partir da parte principal do osso. Fraturas nessa área podem causar assimetria facial e problemas na articulação da mandíbula.
  4. Fraturas Avulsas dos Dentes: Em casos de traumas graves, pode ocorrer a fratura avulsa de um ou mais dentes. Isso requer atenção imediata para preservar os dentes e prevenir infecções.

Um estudo feito pelo Portal SciELO sobre as fraturas mandibulares e traumatismos faciais confirma que: “A redução e a fixação das fraturas mandibulares devem ocorrer tão precisa e rapidamente quanto possível, visto que a maloclusão é uma complicação grave a longo prazo.”

As implicações clínicas dessas anomalias e fraturas da mandíbula podem variar desde problemas estéticos e funcionais até questões mais graves, como dificuldades respiratórias e problemas de saúde geral. 

O conhecimento detalhado da anatomia da mandíbula e dos acidentes anatômicos da mandíbula são essenciais para realizar tratamentos odontológicos, cirurgias e intervenções com sucesso e segurança. Na Purgo, como líder mundial em biomateriais, valorizamos a pesquisa e o desenvolvimento contínuos para oferecer soluções inovadoras que auxiliem os profissionais da saúde bucal em seus procedimentos e cuidados avançados com a anatomia da mandíbula.

Se você é um cirurgião-dentista que deseja elevar seus resultados e a técnica cirúrgica, entre em contato com o time de consultores da Implantec Brasil, que irão indicar o melhor e mais biocompatível biomaterial odontologico do mercado, garantindo tecnologia e qualidade nos resultados. Entre em contato