Skip to main content

A periodontia é uma especialidade da Odontologia que nos últimos anos tem tido avanços muito significativos, principalmente relacionado às doenças periodontais. A doença periodontal, seja ela a gengivite ou a periodontite, atinge grande parte da população de forma mais ou menos agressiva. O dentista tem um papel importante  na prevenção e na promoção da saúde para a manutenção de uma boa condição bucal. Diante disso, esse artigo tem como objetivo informar e sanar quaisquer dúvidas em relação às formas de periodontite, o diagnóstico e seu tratamento.

Quais são os tipos de doenças periodontais?

A doença periodontal é a resposta inflamatória da gengiva e tecido conjuntivo  ao acúmulo de bactérias sobre a estrutura do dente. Esses acúmulos são conhecidos como placa bacteriana ou biofilme dental. As respostas inflamatórias estão divididas em dois tipos de manifestação de doenças periodontais: a gengivite e a periodontite. A gengivite é clinicamente o sangramento dos tecidos gengivais, já a periodontite ocorre quando a resposta inflamatória induzida pela placa nos tecidos resulta na perda de inserção  do dente ao osso, na perda de osso alveolar e na eventual perda do elemento.

É definida como uma doença sito-específica, que evolui  continuamente com períodos de exacerbação e de  remissão,  resultando  de  uma  resposta inflamatória e imune do hospedeiro à presença de bactérias e suas toxinas.  

Quais são os sinais e sintomas da periodontite?

A periimplantite se manifesta clinicamente com dor, sensação de corpo estranho e gengiva solta, incômodo, retração gengival, sangramento e/ ou supuração à sondagem, bolsa periodontal com profundidade de sondagem e mobilidade do elemento dental. 

A periodontite tem níveis de prevalência elevados, sendo a segunda maior causa de patologia oral na população mundial.

Quais são os tipos de periodontite?

Existem algumas formas de periodontite, e as mais comuns são:

  1. Periodontite crônica:  é a forma mais frequente de periodontite e é caracterizada pela formação de bolsas e/ou recessão da gengiva. A progressão da perda de inserção ocorre lentamente, mas períodos de rápida progressão podem ocorrer. 
  2. Periodontite agressiva: é caracterizada pela rápida perda de inserção e destruição óssea, possui um forte componente de agregação familiar. 
  3. Periodontite na manifestação de doenças sistêmicas:  condições sistêmicas, como doenças cardíacas, doenças respiratórias e diabetes, estão associadas a essa forma de periodontite. 

Quais são os fatores sistêmicos associados à periodontite?

As   doenças   sistêmicas  vêm   sendo   associadas   às   periodontopatias   devido   a mecanismos  inflamatórios  e  imunoreguladores  comuns a ambas as doenças, como a diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e infecções respiratórias, conferindo influências na etiopatogenia e agravamento das mesmas.

Como tratar a periodontite?

No contexto de promoção de saúde bucal, o tratamento deve ser realizado por uma equipe multiprofissional, e não somente pelo cirurgião-dentista, conscientizando o paciente portador de periodontite nos seus estágios iniciais e dos fatores de risco envolvidos no agravamento da doença. 

A terapia padrão para prevenir e evitar a progressão da periodontite é a remoção mecânica da placa bacteriana e consiste em raspagem e alisamento radicular, higiene oral diária do paciente e visitas de manutenção ao dentista para remoção de novos depósitos subgengivais. 

Embora essa terapia mecânica possa ser efetiva na grande maioria dos pacientes portadores de periodontite crônica, pode haver recidiva de bactérias em locais tratados e é considerada a principal causa de resultados insatisfatórios no tratamento da periodontite agressiva. Portanto, é sugerido que antibióticos sistêmicos sejam administrados juntos à terapia padrão para que se obtenha sucesso no tratamento destas doenças periodontais.

Dentre os diferentes antibióticos sistêmicos disponíveis para o tratamento da periodontite agressiva, a azitromicina faz parte de uma nova geração de antibióticos e apresenta posologia simples, de 500 mg, 1 vez ao dia e durante 3 dias. Outro tratamento é a administração de tetraciclina (250 mg, quatro vezes ao dia durante duas semanas), associada à terapia cirúrgica dois a três dias após o início da medicação, com retalho de Widman modificado, raspagem supra e subgengival, reposicionamento do retalho e, após a cirurgia, iniciar bochechos com clorexidina a 0,2%; duas vezes ao dia por duas semanas. O acompanhamento deve ser realizado por três meses por meio de sondagem, radiografias periapicais, reforço na orientação de higiene e profilaxia.

Considerações Finais

Periodontite é uma enfermidade que atinge os tecidos que circundam os dentes, comprometendo a estrutura que os sustenta. Diante do exposto, o diagnóstico e o tratamento da periodontite devem ser realizados de forma minuciosa e de maneira multidisciplinar, visto que há uma relação com outras enfermidades sistêmicas que podem comprometer ainda mais a saúde oral do paciente. Se você é interessado em biomateriais para tratamento de Periodontite, entre em contato conosco agora mesmo!