Skip to main content

A regeneração da gengiva é um processo fascinante e crucial para a saúde bucal. É um tecido conjuntivo que reveste e protege as raízes dos dentes, além de manter a estrutura óssea que os suporta. Quando a gengiva sofre algum tipo de lesão ou inflamação, é fundamental que ela se regenere adequadamente para garantir a integridade e saúde dos dentes.

O processo em que a gengiva se regenera envolve uma série de eventos biológicos coordenados. Vamos entender melhor como isso acontece:

  • Cicatrização de feridas: Quando a gengiva sofre um ferimento, seja por escovação inadequada, trauma ou problemas periodontais, o organismo inicia imediatamente o processo de cicatrização. Nessa fase, as células danificadas da gengiva começam a se reparar e formar uma espécie de barreira protetora.
  • Migração celular: Células especiais chamadas fibroblastos entram em ação, migrando para a área danificada da gengiva. Essas células são responsáveis pela produção de fibras colágenas, que são essenciais para a sustentação e regeneração do tecido gengival.
  • Estímulo à divisão celular: Para a gengiva se regenerar envolve o estímulo à divisão celular para que novas células sejam produzidas e substituam as danificadas. Esse processo é controlado por mediadores químicos que atuam em resposta ao ferimento.
  • Revascularização: Para a gengiva se regenerar de forma adequada, requer a restauração do suprimento sanguíneo na área afetada. Os vasos sanguíneos são fundamentais para levar nutrientes e oxigênio às células que estão trabalhando na reparação.
  • Reconstrução do tecido: À medida que as células se multiplicam e o colágeno é sintetizado, a gengiva começa a se reconstruir gradualmente. Esse processo pode levar algumas semanas até que a gengiva retorne ao seu estado saudável e normal.

Fatores que influenciam a capacidade em que a gengiva se regenera:

A capacidade em que a gengiva se regenera pode ser influenciada por uma série de fatores. Alguns desses fatores são naturais e inerentes ao organismo, enquanto outros podem estar relacionados aos hábitos de higiene oral e ao estilo de vida do paciente. 

Veremos agora alguns dos principais fatores que podem afetar a gengiva se regenerar:

  • Saúde geral do paciente: A saúde geral do paciente desempenha um papel crucial na regeneração da gengiva. Pacientes com um sistema imunológico comprometido podem ter uma capacidade reduzida de cicatrização e regeneração. Doenças crônicas, como diabetes, podem afetar negativamente a resposta do organismo ao processo de regeneração.
  • Higiene oral adequada: A forma como o paciente cuida de sua higiene oral é fundamental para a saúde da gengiva. A escovação e o uso adequado do fio dental ajudam a remover a placa bacteriana e os resíduos alimentares, reduzindo o risco de inflamação e lesões na gengiva.
  • Presença de doenças periodontais: Pacientes com doenças periodontais, como gengivite e periodontite, podem ter uma capacidade reduzida de regeneração da gengiva. O tratamento adequado e o controle dessas doenças são fundamentais para promover a regeneração e evitar a progressão dos problemas periodontais.
  • Tabagismo: O hábito de fumar pode prejudicar a circulação sanguínea na gengiva e dificultar a regeneração do tecido. Fumantes têm maior probabilidade de desenvolver doenças periodontais e podem enfrentar desafios adicionais na regeneração gengival.
  • Nutrição adequada: Uma dieta equilibrada e rica em nutrientes é essencial para a regeneração do tecido gengival. Vitaminas e minerais, como vitamina C e zinco, desempenham um papel importante na cicatrização e na formação de tecido saudável.

Métodos ou técnicas específicas que podem melhorar a regeneração da gengiva:

Para melhorar a regeneração da gengiva, os profissionais de odontologia têm à disposição várias técnicas e métodos que podem ser empregados de acordo com as necessidades de cada paciente. Alguns desses métodos incluem:

  • Enxertos de gengiva: Em casos de recessão gengival significativa, pode ser realizado um enxerto de gengiva para recuperar a área afetada e estimular a regeneração do tecido.
  • Uso de biomateriais: A utilização de biomateriais, como membranas e enxertos ósseos, pode auxiliar na regeneração da gengiva e na recuperação de áreas danificadas.
  • Cirurgias periodontais: Em casos mais avançados de doenças periodontais, cirurgias periodontais podem ser realizadas para limpar as áreas afetadas e promover a regeneração do tecido gengival.
  • Terapia a laser: A terapia com laser de baixa intensidade pode ser empregada para estimular a regeneração do tecido gengival e reduzir a inflamação.
  • Tratamentos medicamentosos: Em alguns casos, o uso de medicamentos específicos pode ser indicado para auxiliar na regeneração e no controle de doenças periodontais.

“Esse efeito de cicatrização, também é descrito por Kerhwald et al. (2021), que aponta melhora na regeneração de
tecidos, tanto moles quanto os ósseos, o que acaba por facilitar a cicatrização, reduzindo dores e desconforto pós-operatório, em que se observou resultados favoráveis do uso do PRF na regeneração de tecidos da gengiva e ósseo.” Leia mais a fundo sobre esse estudo científico, aqui.

A gengiva se regenera com membrana de PTFE?

A membrana de Politetrafluoretileno Expandido (PTFE) não reabsorvível, como a OpenTex® – TR, é um biomaterial utilizado em procedimentos de regeneração periodontal para auxiliar na regeneração da gengiva e do osso alveolar ao redor de dentes e implantes. Aqui está como esse biomaterial, juntamente com outros, pode ser benéfico:

Barreira Física: 

As membranas de PTFE não reabsorvíveis atuam como uma barreira física, isolando a área de tratamento. Isso impede que células gengivais invadam o local da cirurgia, permitindo que as células ósseas e periodontais tenham um ambiente mais favorável para o crescimento.

Proteção e Estabilização: 

Essas membranas também protegem o coágulo sanguíneo formado após a cirurgia, promovendo um ambiente mais estável para a cicatrização. Isso minimiza o risco de infecção e ajuda a manter o espaço de regeneração.

Suporte para o Crescimento Ósseo: 

O principal objetivo da regeneração periodontal é estimular o crescimento ósseo. As membranas de PTFE, devido à sua estabilidade e durabilidade, proporcionam um suporte de longo prazo para o crescimento ósseo, permitindo que o osso regenere eficazmente.

Manutenção do Espaço: 

Além disso, essas membranas mantêm o espaço necessário para o crescimento do osso e da gengiva, impedindo o colapso do tecido mole na área cirúrgica.

Biomateriais como as membranas de PTFE não reabsorvíveis são um componente valioso em cirurgias de regeneração periodontal. No entanto, essas cirurgias são altamente especializadas e devem ser realizadas por profissionais de saúde bucal treinados e experientes, como periodontistas e cirurgiões bucomaxilofaciais.

Leia também nosso artigo sobre a Regeneração tecidual: o que é essa técnica?

Podemos ressaltar que cada caso é único, e o tratamento adequado deve ser personalizado de acordo com a condição do seu paciente. Deve-se avaliar o quadro clínico e recomendar as melhores opções de tratamento para promover a saúde e a regeneração da gengiva adequada para seu paciente.

A Purgo é comprometida em desenvolver os melhores biomateriais para auxiliar os profissionais de odontologia nesse processo de regeneração gengival. Trabalhando sempre para promover a saúde bucal e proporcionar aos pacientes os melhores equipamentos de cuidados odontológicos possíveis. 

Conte conosco para soluções inovadoras e eficazes na área de regeneração óssea e tecidual. Se você é um cirurgião-dentista da área cirúrgica, e deseja conhecer mais sobre os melhores produtos para regeneração óssea e tecidual, entre em contato com o time de consultores da Implantec e saiba mais sobre os produtos da Purgo Biologics.